Confraria do Atlético

Arrasador, Furacão flagela mais um : agora foi implacável goleada de 5 x 1 na Chapecoense

E-mail Imprimir PDF

Foi mais uma exibição impecável do rubro-negro paranaense que adentrou o Brasileirão de 2018 na cabeceira e com goleada. Time apesar de poupar alguns jogadores para o confronto desta semana com o S. Paulo F.C., precisou apenas de poucos minutos para se adaptar e impor seu domínio de bola para consagrar novo sucesso com placar elástico.

Esporte Line

Em um jogo que deixou as emoções mais fortes para o segundo tempo, o Atlético Paranaense e, de virada, venceu a Chapecoense em sua estreia no Campeonato Brasileiro por 5 a 1, na Arena da Baixada, começando bem a competição e animando seu torcedor. Com o resultado, o Furacão assume a primeira colocação, com três pontos ganhos e cinco gols marcados. Depois de um primeiro tempo que passou em branco, a Chape precisou de apenas dois minutos após o intervalo para inaugurar o placar, com Wellington Paulista, que subiu na área para testar e estufar a rede. Pablo, no entanto, deixou tudo igual, aos seis minutos. A virada veio com Nikão, aos 13 minutos. De falta, Carleto desencantou, aos 23 minutos. A goleada foi fechada com um golaço de Rosseto, aos 42 minutos, e por Ederson, já nos acréscimos. Na próxima rodada, o Atlético Paranaense enfrenta o Grêmio, domingo, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre. Já a Chapecoense recebe o Vasco da Gama, no mesmo dia, na Arena Condá.

O jogo – O Furacão entrou em campo com algumas modificações, já que o técnico Fernando Diniz decidiu poupar alguns titulares por conta da maratona de jogos. Porém, o estilo da equipe não mudou, com muito toque de bola e posse desde o começo da partida. Aos cinco minutos, Carleto fez o cruzamento, Jandrei saiu errado e quase entregou o ouro, mas Ribamar desviou para fora. De bola parada, Carleto leu perigo, aos 13 minutos, com um chute venenoso que deu trabalho para Jandrei. A Chape entrou em campo fechada, com um verdadeiro ferrolho que não deixava o ataque rubro-negro penetrar. Aos 20 minutos, Ribamar recebeu na entrada da área, tentou um chute desequilibrado, e mandou totalmente torto, sem direção. Um choque feio no ar entre Rafael Thyere e Ribamar. O primeiro teve um corte na cabeça, enquanto o atacante ficou sem dois dentes. A Chapecoense chegou pela primeira vez aos 29 minutos, com Wellington Paulista, que arriscou de fora da área, na rede, mas pelo lado de fora. Aos 33 minutos, Ribamar cruzou para o meio da área e Nikão chegou batendo para uma grande defesa de Jandrei. Já nos acréscimos, Rosseto dominou na área, girou o corpo e chutou para fora.

Para a etapa final, as equipes retornaram sem novidades. Mas, logo aos dois minutos, bola na área atleticana e Wellington Paulista apareceu para testar, tirar do goleiro, estufar a rede e abrir o placar. A reação foi rápida e, aos seis minutos, na mesma moeda. Levantamento na área e Pablo subiu para cabecear no ângulo para deixar tudo igual. O jogo era melhor no segundo tempo, mais aberto. E a virada veio aos 13 minutos, com Nikão, que pegou sobra de bola na entrada da área e bateu bonito para fazer um belo gol na Arena. Chapecoense no ataque, aos 19 minutos, com Vinícius, que tentou o cruzamento para saída precisa de Santos, que tirou o perigo com um tapa na bola. Aos 22 minutos, Thiago Carleto cobrou falta a meia altura, no cantinho, e marcou o terceiro. A Chapecoense não se entregava e chegou com perigo, aos 32 minutos, em cobrança de escanteio fechada de Canteros, que quase fez olímpico. Santos estava ligado no lance. Bem postado em campo, o Rubro-Negro deixava o tempo passar com a bola nos pés. Aos 41 minutos, Nikão arriscou de fora da área e Jandrei agarrou com segurança. Aos 42 minutos, Rosseto tirou da marcação de peito e completou para a rede, marcando um golaço. Ederson ainda deixou o dele, nos acréscimos, fechando a contagem.

ATLÉTICO PARANAENSE 5 X 1 CHAPECOENSE

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)
Data: 15 de abril de 2018, domingo
Horário: 19 horas (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Helcio Araujo Neves (PA) e Heronildo S. Freitas da Silva (PA)
Cartões amarelos : Zé Ivaldo (Atlético-PR); Rafael Thyere, Wellington Paulista, Márcio Araújo (Chapecoense)
Gols
ATLÉTICO PARANAENSE: Pablo, aos 06 minutos, Nikão, aos 13 minutos e Thiago Carleto, aos 22 minutos, Rosseto, aos 42 minutos e Ederson, aos 47 minutos do segundo tempo
CHAPECOENSE : Wellington Paulista, aos 02 minutos do segundo tempo
ATLÉTICO PARANAENSE: Santos; Pavez, Zé Ivaldo e Bruno Guimarães; Jonathan, Camacho (Deivid), Rosseto e Carleto; Ribamar (Ederson), Pablo e Nikão (Raphael Veiga).
Técnico: Fernando Diniz
CHAPECOENSE: Jandrei; Apodi (Eduardo), Rafael Thyere, Douglas e Bruno Pacheco; Amaral, Márcio Araújo (Guilherme) e Canteros; Arthur, Vinicius (Nadson) e Wellington Paulista.
Técnico: Gilson Kleina

Última atualização ( Seg, 16 de Abril de 2018 06:43 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)