Confraria do Atlético

Clubes votam a favor da grama sintética e derrubam veto em arbitral da CBF; venda de mando restabelecida

E-mail Imprimir PDF

Em decisão unânime, clubes da Série A do Campeonato Brasileiro votaram contra a restrição e gramado está liberado. O Atlético poderá seguir utilizando o gramado sintético na Arena da Baixada. No arbitral da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), realizado na tarde desta segunda-feira (05), no Rio de Janeiro, todos os 20 clubes da Série A do Campeonato Brasileiro votaram para a retirada do veto, deliberado no arbitral do ano passado e que passaria a valer na edição deste ano. Piso só poderá ter proibido no Brasil por decisão da Fifa.

Esporte Line

A restrição foi votada no congresso técnico de 2017, após proposta do ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, e com 15 votos a favor da proibição e cinco contrários. Na ocasião, além do próprio Atlético, apenas Coritiba, Palmeiras, Sport e Bahia votaram a favor da utilização da grama sintética no país. Caso a decisão fosse mantida pela CBF, o Furacão já havia prometido recorrer à Fifa, que libera o uso do piso artificial em todo o mundo, para tentar reverter a decisão votada pelos clubes no arbitral.

A grama sintética é utilizada pelo Rubro-Negro desde 2016, depois de ter enfrentado diversos problemas com a manutenção do gramado natural na Arena da Baixada. O Furacão foi representado na reunião pelo presidente do Conselho Deliberativo do clube, Mario Celso Petraglia, que está presente no Rio de Janeiro. Além da liberação no arbitral, o piso artificial não poderá mais ser proibido no Brasil, desde que não seja por decisão da Fifa.

Clubes poderão voltar a vender mandos de campo

Outra proibição que foi derrubada na reunião da CBF foi a de vendas de mando de campo no Campeonato Brasileiro. Com 14 votos a favor e seis contra, os clubes já haviam proibido que jogos fossem vendidos para outras cidades na reunião do ano passado, em medida que foi válida para a última edição do torneio nacional. A liberação, no entanto, terá duas restrições: Os times só poderão atuar cinco vezes fora de seu estado de origem em suas partidas com mando no Campeonato Brasileiro e as trocas de locais serão proibidas nas cinco últimas rodadas da competição.

Última atualização ( Seg, 05 de Fevereiro de 2018 18:11 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)