Confraria do Atlético

Atlético põe vantagem em mata-mata à prova na Vila Capanema; defesa volta a ser o ponto alto do time

E-mail Imprimir PDF

Rubro-negro soma nove classificações e só duas eliminações nos últimos 11 duelos de mata-mata. Furacão leva vantagem do empate para jogo decisivo contra o Paraná.

Esporte Line

O Atlético tem um histórico recente positivo em confrontos de mata-mata. Do Campeonato Paranaense de 2016 às eliminatórias da Libertadores de 2017, o time de Paulo Autuori acumula vitórias nos duelos decididos em 90 ou 180 minutos. São nove classificações e apenas duas eliminações nos últimos 11 mata-matas.

O Furacão superou Londrina, Paraná Clube e Coritiba para conquistar o título estadual em 2016, inclusive com vitória sobre o maior rival na finalíssima. Passou pelo Flamengo, mas perdeu para o Fluminense na Primeira Liga. E superou Brasil de Pelotas, Dom Bosco e Chapecoense até cair diante do Grêmio nas oitavas de final da Copa do Brasil.

O Atlético encarou mais dois mata-matas em 2017 - e levou a melhor em ambos. Primeiro, passou pelo Millonarios, da Colômbia, após vitórias nos pênaltis fora de casa. Na sequência, eliminou o Deportivo Capiatá, com um empate em casa e uma vitória fora. Com isso, o Furacão garantiu a vaga na fase de grupos da Libertadores. Paulo Autuori já comentou sobre a importância da bagagem em mata-matas, principalmente na Libertadores, para a reta final do Campeonato Paranaense:

- É uma situação muito semelhante da Libertadores, em que passamos. Naquele momento, nós entramos com muito tesão porque tinha pouco trabalho. Agora que nós estamos caindo na real, vendo realmente aquilo que nós poderemos trabalhar e reajustar não para o Paranaense e não para a Libertadores, mas para a temporada - afirmou o comandante rubro-negro.

O Atlético realiza mais três atividades para definir o time titular e fazer os ajustes necessários. O time não deve ter o meia Carlos Alberto e os atacantes Pablo e Grafite, que seguem em recuperação de lesões. O primeiro já realiza atividades no campo e tem chances de voltar contra o Flamengo, quarta-feira que vem, no Maracanã, pela terceira rodada da Libertadores.

Confira o histórico recente do Atlético-PR em mata-mata:

Classificado - Londrina (empate por 1 a 1 e vitória por 2 a 0)
Classificado - Paraná (vitória por 1 a 0, derrota por 1 a 0; 4 a 2 nos pênaltis)
Classificado - Coritiba (vitória por 3 a 0 e vitória por 2 a 0)
Classificado - Flamengo (vitória por 1 a 0)
Eliminado - Fluminense (derrota por 1 a 0)
Classificado - Brasil de Pelotas (empate por 1 a 1 e vitória por 1 a 0)
Classificado - Dom Bosco (empate por 2 a 2 e vitória por 5 a 0)
Classificado - Chapecoense (empate por 0 a 0 e empate por 1 a 1)
Eliminado - Grêmio (derrota por 1 a 0, vitória por 1 a 0; 3 a 4 nos pênaltis)
Classificado - Millonarios (vitória por 1 a 0, derrota por 1 a 0; 4 a 2 nos pênaltis)
Classificado - Deportivo Capiatá (empate por 3 a 3 e vitória por 1 a 0)

Última atualização ( Qui, 06 de Abril de 2017 10:24 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)