Confraria do Atlético

Comemora povão atleticano, Furacão é Libertadores!

E-mail Imprimir PDF


Salve, guerreiros! Mais uma vez honraram nosso manto sagrado: Weverton; Léo,
Paulo André, Thiago Heleno, Sidcley, Otávio, Hernani, Nikão, Lucas Fernandes,
Lucho González, João Pedro, Pablo e André Lima.

A todos que confiaram e apoiaram a contagem regressiva que promovemos,
visando
retorno do “El Paranaense” à Libertadores, nossa gratidão eterna.

Doático Santos
Presidente da Assocap - Associação dos Sócios do Clube Atlético Paranaense

Isso mesmo, grande protagonista deste embate contra equipe carioca foi a massa rubro-negra paranaense. Povão atendeu a convocação e com a promoção de ingresso, não teve dúvida, lotou o Caldeirão. Em campo o Furacão manteve domínio sobre o Flamengo e forma madura aproveitou o regulamento para se consolidar na 6ª posição do campeonato Brasileiro e carimbar a vaga para a libertadores 2.017. Assim, numa temporada muito boa, alcançamos a possibilidade de voltar ao principal torneio de clubes do continente.

Esporte Press

O Atlético Paranaense fechou o ano com chave de ouro neste domingo (11 de dezembro). Jogando na Arena da Baixada, o time paranaense, que prestou homenagem à Chapecoense antes e durante a partida, com o escudo do time catarinense no meio do peito, ficou no 0 a 0 contra o Flamengo e garantiu vaga na próxima Copa Libertadores da América graças à derrota do Corinthians (3 a 2 para o Cruzeiro).

Para o duelo contra o time carioca, que ainda lutava para garantir o vice-campeonato, a torcida atleticana lotou as arquibancadas da Arena da Baixada, com mais de 38 mil torcedores no estádio. A festa tinha motivo: além da boa campanha no Brasileirão, o Atlético também retomou o rumo dos títulos com a conquista do Paranaense, encerrando um jejum que perdurava desde 2009, e teve ainda a consagração de um jogador na seleção brasileira (Weverton, campeão olímpico).

Com o empate dentro de casa, o clube paranaense mantém a invencibilidade de 42 anos como mandante diante do Flamengo em Campeonatos Brasileiros e chega aos 57 pontos no Brasileirão. Como o Botafogo derrotou o Grêmio fora de casa, por 1 a 0, o Atlético fica em 6º lugar e o alvinegro carioca, em 5º. Já o Flamengo, com 71 pontos, cai para a terceira colocação com a vitória do Santos diante do América-MG (1 a 0).

O Jogo

Para o jogo derradeiro, Paulo Autuori contou com todo o grupo à disposição. Com isso, Nikão retomou a condição de titular, com Lucas Fernandes indo para o banco. Na lateral-esquerda, Sidcley venceu a disputa com Nicolas por uma vaga no onze inicial. O elenco comandado por Zé Ricardo, por sua vez, tinha desfalques importantes. O zagueiro Rafael Vaz e o meia Diego estavam suspensos, sendo substituídos por Juan e Alan Patrick.

No começo, quem ditou o ritmo foi o Flamengo, que chegou a ter 63% da posse de bola e criou a 1ª chance de gol, com Everton cabeceando no travessão. Depois, porém, recuou, marcando no seu campo de defesa, o que possibilitou ao Atlético equilibrar o duelo. Ao final do 1º tempo, as estatísticas mostravam 64% de posse para o Furacão, que somou cinco finalizações contra quatro do rival. Faltava efetividade dos dois lados.

No 2º tempo, o time paranaense alcançou uma superioridade ainda mais notável e criou boas chances de gol em chutes de fora da área. A emoção maior, contudo, foi nas arquibancadas, com quem estava com a orelha colada no rádio. Com a vitória do Botafogo no Rio Grande do Sul, o Atlético tinha de vencer ou torcer por um tropeço do Corinthians em Minas Gerais. Os paulistas, contudo, fizeram 2 a 1. Mas não perdurou: em seguida tomaram o empate e, pouco depois, a virada do Cruzeiro. O Furacão, mesmo sem vencer, estava muito próximo de voltar a disputar a principal competição continental.

Para fechar o “ano perfeito” com chave de ouro, contudo, faltava um gol, um mísero gol. E ele não veio, com o 0 a 0 perdurando no placar. Um empate que custou ao Furacão R$ 1,25 milhões e ao Flamengo, R$ 3,4 milhões. É que se terminasse a competição na quinta colocação, o time paranaense receberia R$ 3,85 milhões em prêmio. Como ficou em 6º, receberá R$ 2,6 milhões. Já o time carioca deixou de receber alguns milhões a mais por ter perdido a 2ª colocação para o Santos na última rodada.

Última atualização ( Seg, 12 de Dezembro de 2016 04:17 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)