Confraria do Atlético

Empate no Maracanã foi emocionante, Atlético segurou Fluminense e agora já pensa no Sport: Libertadores

E-mail Imprimir PDF

Jogando um futebol de qualidade o Atlético se impôs e mostrou porque está na faixa de conquista da vaga para o maior torneio continental.

Lucas Fernandes cresce a cada partida e sofreu o pênalti que originou o gol de empate numa cobrança perfeita do volante Hernani. Goleiro Santos por momentos fez a torcida rubro-negra esquecer Weverton, defendendo pênalti aos 45 minutos do segundo tempo.

Demorou, mas o Atlético acabou com a sequência de nove derrotas seguidas fora de casa no Campeonato Brasileiro. Na tarde desta terça-feira (15), o Furacão, com uma dose extra de emoção e com destaque especial para o goleiro Santos, que defendeu uma penalidade nos acréscimos, o Furacão arrancou o empate em 1×1 diante do Fluminense, no Maracanã e voltou a pontuar como visitante na competição nacional. Com o resultado de igualdade, o time rubro-negro manteve a sexta posição, mas pode perder a vaga na zona da Libertadores no encerramento da rodada.  A equipe de Paulo Autuori volta à campo no próximo domingo, dentro de casa, diante do Sport.

Apesar de apresentar as mesmas dificuldades de outras jornadas realizadas fora de casa, o Atlético iniciou bem o jogo. Com a marcação adiantada, o Furacão dificultou a saída de bola do tricolor carioca e foi o dono das melhores chances de marcar no primeiro tempo. Nos primeiros minutos, Hernani em cobrança de falta, e Lucas Fernandes, batendo cruzado, assustaram o goleiro Júlio César. Jogando no campo do Fluminense, o Atlético, com alguns erros de passes, deu alguns espaços para os contra-ataques dos donos da casa. Aos 19, Edson recebeu na entrada da área, bateu forte e Santos defendeu.

O tricolor carioca conseguiu acertar a sua marcação e aproveitou a única falha defensiva do time rubro-negro para abrir o placar aos 28 minutos. Gustavo Scarpa cruzou na medida na cabeça de Cícero, que apareceu entre os zagueiros e mandou sem chances para o goleiro Santos. O Atlético acusou o golpe e, logo depois, de fora da área, Gustavo Scarpa bateu colocado e a bola passou perto de Santos. No final do primeiro tempo, o Furacão partiu para o ataque em busca do empate. Aos 37, depois do cruzamento e do goleiro Júlio César afastar mal, Hernani pegou o rebote, mas bateu para fora. Ainda no final, Hernani teve a chance em cobrança de falta, mas a bola saiu por pouco.

Mais ofensivo na etapa final, o Furacão passou a dar mais espaços para os contra-ataques do Fluminense. Foi assim que o time da casa, aos 5 minutos quase ampliou, mas Santos fez grande defesa no chute de Wellington. Mais organizado, o time atleticano chegou próximo do empate aos 13 minutos. Depois da jogada de Lucho González, André Lima chutou de primeira e Júlio César fez grande defesa. O Furacão, de tanto insistir, conseguiu a igualdade aos 16 minutos. Lucas Fernandes ganhou de William Matheus e foi derrubado pelo lateral do time carioca dentro da área. Na cobrança do pênalti, Hernani bateu com perfeição e empatou a partida. O tricolor carioca, a partir daí, passou a ficar mais nervoso em campo, mas conseguia chegar com perigo sempre nas investidas do atacante Wellington.

Enquanto o Atlético mantinha o controle defensivo da partida, o Fluminense buscou ser mais ofensivo depois das entradas dos atacantes Osvaldo e Richarlison. Mas foi o Atlético que chegou perto de marcar. Aos 34 minutos, André Lima escorou, Nikão mandou de fora da área e quase acertou o ângulo de Júlio César. O jogo no final pegou fogo, com boas chances para os dois times. O tricolor carioca teve a chance de marcar em cobrança de falta, mas a bola saiu por pouco. Aos 40, o zagueiro Gum tentou recuar para o goleiro Júlio César e quase marcou contra. Apesar do nervosismo, o Fluminense foi para o tudo ou nada no final. Aos 46, o zagueiro Paulo André falhou e cometeu penalidade em Richarlison. Gustavo Scarpa cobrou no meio do gol, Santos defendeu e garantiu o ponto no Maracanã.

Última atualização ( Ter, 15 de Novembro de 2016 20:07 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)