Confraria do Atlético

Atlético treina pra espantar a sina de 'mau visitante'

E-mail Imprimir PDF

Rubro-Negro Paranaense retomou, na manhã desta quarta-feira (2), a preparação para mais um importante compromisso em busca de uma vaga na Copa Libertadores. No próximo domingo (6), o Rubro-Negro enfrenta o Vitória, pela 34ª rodada do Brasileirão 2016. O duelo está marcado para às 17h [horário de Brasília], no Estádio Barradão, em Salvador (BA).

Depois de dois dias de descanso, o elenco atleticano se reapresentou no CAT Alfredo Gottardi às 9h de hoje (2). As primeiras atividades foram realizadas na academia. Por volta das 10h, o grupo foi ao gramado. Em campo, o treinamento iniciou com um trabalho de posse de bola. Em seguida, o técnico Paulo Autuori orientou jogos em campo reduzido. Depois das atividades, os jogadores foram liberados. Eles seguem trabalhando no CAT nesta quinta-feira (3). Na sexta-feira (4), o Atlético Paranaense realiza o último treinamento em Curitiba e segue, no período da tarde, para Salvador (BA), onde encerra a preparação no sábado (5).

Paraná Online - Ricardo Brejinski

Paulo Autuori e a saga mandante & visitante

Melhor mandante mas, visitante... Treinador  viveu situação semelhante com o Grêmio, em 2009, onde não perdeu em casa e só venceu uma fora. Melhor mandante do Campeonato Brasileiro, com 86,2% de aproveitamento, mas ao mesmo tempo o terceiro pior visitante, com 14,5% dos pontos conquistados. Esta vem sendo a sina do Atlético, que nas últimas rodadas vem se dividindo entre derrotas e vitórias, conforme o local da partida onde é disputada. Uma diferença significativa (71,7%) e que já é a maior em termos de percentagem desde que o Brasileirão vem sendo disputado por pontos corridos, segundo levantamento do FutDados.

Porém, esta campanha não é novidade para o técnico Paulo Autuori. Até esta temporada, a façanha pertencia ao Grêmio, que em 2009 teve 82,5% de aproveitamento em casa e apenas 14% fora (diferença de 68,5%). Curiosamente, o time gaúcho, na ocasião, era comandado por Autuori. Na época, o agora treinador do Furacão assumiu o tricolor na terceira rodada e ficou até a 34ª. Com ele como técnico, o Grêmio fez 16 partidas como mandante, somando 12 vitórias e quatro empates (83,3%), e mais 16 fora, com apenas uma vitória, quatro empates e 11 derrotas (14,5%, mesmo aproveitamento do Rubro-Negro atualmente).

Vale lembrar que Autuori chegou ao Grêmio apenas na terceira rodada e saiu após a 34ª, quando aceitou uma proposta do Al-Rayyan, do Catar. Nestas outras seis partidas da equipe no Brasileirão, o técnico foi Marcelo Rospide, que conseguiu duas vitórias e um empate em casa e um empate e duas derrotas fora, mantendo a média do time, que terminou a competição em oitavo lugar, com 55 pontos, dois a menos que o Avaí, o sexto colocado, embora em 2009 ainda existisse apenas o G4, fechado pelo Cruzeiro, com 62 pontos.

Caso o G6 sempre tivesse valendo no Campeonato Brasileiro, apenas três times entre os dez que mais conseguiram essa discrepância, com um ótimo desempenho como mandante mas foram mal como visitante, teriam conseguido uma vaga na Libertadores. Em 2006, o Santos teve 82,5% de aproveitamento em casa e 29,8% fora (diferença de 52,7%), terminando a classifcação em 4º. No ano passado, o Internacional foi o quinto com 78,9% diante da torcida e 26,3% (diferença de 52,6%) longe do Beira-Rio. E em 2008 o mesmo Colorado, com 75,4% como mandante e 19,3% como visitante (diferença de 56,1%) foi o sexto colocado.

Entre esses dez times com a maior diferença de aproveitamento em casa e fora, o pior colocado na classificação final foi o Juventude, que em 2006 terminou na 14ª posição, com 68,4% como mandante e apenas 14% como visitante (diferença de 54,4%), seguido pelo Náutico de 2012, com 73,7% diante da torcida e incríveis 12,3% longe dela (diferença de 61,4%). Mas, em média, as equipes terminam na metade de cima da tabela, casos do Santos do ano passado, que tem a terceira maior diferença (84,2% contra 17,5%, totalizando um contraste de 66,7%) e ficou em sétimo, e o Atlético-MG, que em 2013 ficou em oitavo (77,2% contra 22,8%, diferença de 54,4%). Completa a lista das dez mais diferenças a Ponte Preta da atual temporada, que está décimo lugar, com 45 pontos, com 72,9% em casa e 19,6% fora (constraste de 53,3%).

Última atualização ( Qui, 03 de Novembro de 2016 06:52 )  

Santuário da Nação Rubro-Negra

Please wait while JT SlideShow is loading images...
Photo Title 1Photo Title 2Photo Title 3Photo Title 4Photo Title 5

Projeto de Lei de Iniciativa Popular “Libera Cerveja”



DISPÕE SOBRE A VENDA E O CONSUMO DE BEBIDAS NAS ARENAS DESPORTIVAS E ESTÁDIOS NO ÂMBITO DO ESTADO DO PARANÁ.

Art. 1º – Este projeto de lei tem por objetivo regular a venda e o consumo de bebidas nas arenas desportivas e estádios no âmbito do estado do Paraná.

Art. 2º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios localizados no Estado do Paraná será permitida desde a abertura dos portões para acesso do público ao estádio até o final da partida, assim entendido o momento do apito final do árbitro.

Art. 3º – A única bebida alcoólica que poderá ser vendida e consumida em recintos esportivos é a cerveja, sendo proibida a venda e o consumo de quaisquer outras espécies de bebidas alcoólicas, sejam elas destiladas ou fermentadas.

Art. 4º – A comercialização de bebidas nas arenas desportivas e nos estádios somente poderá ser realizada em copos plásticos ou garrafas plásticas, descartáveis, admitido o uso de copos promocionais de plástico ou de papel.

Art. 5º – Cabe ao responsável pela gestão do recinto esportivo definir os locais nos quais a comercialização e o consumo de bebidas serão permitidos.

Art. 6º – É vedada a entrada nas arenas desportivas e nos estádios de pessoas portando qualquer tipo de bebida.

Art. 7º – Fica proibida a venda e a entrega de bebidas alcoólicas, nos locais referidos nesta lei, a pessoas menores de 18 (dezoito), podendo os responsáveis responder civil e criminalmente nos termos da Lei Federal no 8.069, de 13 de julho de 1990, com as alterações da Lei Federal nº 13.106, de 17 de março de 2015.

Art. 8º – O descumprimento do disposto nesta Lei sujeita o infrator às seguintes penalidades, sem prejuízo da aplicação da Lei Federal nº 8.078, de 11 de setembro de 1990:

I – se consumidor, será advertido e retirado das dependências do recinto esportivo.

Art. 9º – Deverão ser colocados avisos em diversos setores das arenas desportivas ou estádios, com as seguintes mensagens: “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”

Art. 10º – As arenas desportivas ou estádios deverão veicular em sistema sonoro ou alto-falante, no mínimo 04 (quatro) vezes durante cada evento, as mensagens “Se beber não dirija, se dirigir não beba” e “ É proibida a venda de bebidas alcoólicas a menores de 18 anos.”
Parágrafo único: Fica igualmente obrigada a divulgação das mensagens referidas no caput em telões ou letreiros luminosos nos recintos esportivos que disponham de tais recursos.

Art. 11º – Esta lei entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as disposições em contrário.

Confracap é participação

Twitter & facebook

twitter

Facebook

Galeria Torcedor (a)